O mundo do kiwi em 5 respostas

Por À Roda da Alimentação

Partilhar

Tudo o que deve saber sobre as qualidades do , fruto apetitoso, que tanto serve num simples batido como numa exuberante salada.

A origem do kiwi remonta à China (por isso lhe chamam ‘groselha chinesa’), tem muitos nutrientes e as calorias do kiwi são baixas, o que faz com que seja um dos frutos mais consumidos do mundo.

Com tamanhos variados, polpa verde, amarela ou laranja, é produzido por cá desde a década de 1980 e tornou-se numa presença constante nos carrinhos de compras dos portugueses.

Consultámos a equipa de nutricionistas do Continente para descobrir ao detalhe como o kiwi faz bem.

1. Quais são os principais benefícios do kiwi?

O kiwi apresenta um alto teor de fibra. É um dos frutos com maior conteúdo em vitamina C e fornece ainda boas quantidades de ácido fólico.

A vitamina C tem reconhecidas propriedades antioxidantes, contribuindo ainda para o normal funcionamento do sistema imunitário. Juntamente com um folato, a vitamina C intervém na redução do cansaço e fadiga e normal função psicológica.

O potássio, que se encontra em quantidades consideráveis na fruta, incluindo no kiwi, tem um papel importante na manutenção de níveis normais de pressão arterial, contribuindo ainda para um funcionamento muscular e do sistema nervoso adequados.

2. O kiwi e o trânsito intestinal estão muito associados. Porquê?

A obstipação, por norma designada ‘prisão de ventre’, é um problema global que afeta cerca de 17% da população, a nível mundial.

Em Portugal, de acordo com a Sociedade Portuguesa de Gastroenterologia, a obstipação é uma queixa muito vulgar e pode causar grande mal-estar, levando as pessoas a procurarem ajuda médica.

Criar uma rotina alimentar adequada e equilibrada é um ponto importante na terapêutica da obstipação. É importante garantir uma ingestão adequada de alimentos fornecedores de fibra, bem como fazer uma ingestão suficiente de líquidos.

A associação tradicional de kiwi à função intestinal parece ter algum fundamento científico, uma vez que estudos clínicos revelam que o consumo deste fruto, no contexto de uma alimentação saudável, poderá ter um efeito positivo na retenção de água no intestino delgado e no cólon e aumento do volume do volume fecal, o que contribui para um melhor trânsito intestinal.

3. Toda a gente pode comer kiwi?

Não existe nenhuma contraindicação associada ao consumo de kiwi, contudo existem pessoas que sofrem de Síndrome de Alergia Oral, que se caracteriza pelo aparecimento de edema, comichão e/ou formigueiro nos lábios, boca e garganta após o contacto de um fruto fresco ou produto hortícola com a mucosa oral do indivíduo alérgico.

Geralmente, estes doentes são também alérgicos a pólen. E, como acontece para qualquer alimento, podem existir pessoas que o toleram melhor ou pior.

Exceções à parte, o kiwi parece ser um fruto bem tolerado pela população em geral, incluindo por quem sofre síndrome do intestino irritável, devido ao seu baixo teor em hidratos de carbono fermentáveis.

4. Qual é a dose diária recomendada?

Não existe uma dose diária recomendada para o consumo de kiwi, mas numa alimentação completa, variada e equilibrada propõe-se a ingestão de 3 a 5 porções de fruta, sendo que uma porção corresponde a cerca de 160g (2 kiwis médios).

5. O kiwi ajuda a emagrecer?

Nenhum fruto, ou qualquer outro alimento, tem a capacidade de, por si só, promover o emagrecimento, uma vez que este processo implica um balanço energético negativo continuado. Ou seja, uma ingestão calórica inferior ao gasto, durante um período de tempo.

Contudo, sabe-se que a ingestão de fruta e hortícolas permite um maior controlo e manutenção do peso adequado, sobretudo quando inserida numa alimentação equilibrada.

Com a ajuda de um nutricionista, é possível ajustar as quantidades ingeridas de alimentos de forma a garantir uma perda de peso aliada à saúde.


Conheça também os benefícios do melão.

Autor

À Roda da Alimentação